Institucional

História 

Em 19 de outubro de 2001, a  Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (SESP), em parceria com o Movimento Rio de Combate ao Crime (MOV RIO), trouxe para o Estado a experiência do Disque-Denúncia do Rio de Janeiro.

Em março de 2003, a ONG Espírito Santo Unido Contra o Crime (ESUCC) e a SESP celebraram o Convenio, estabelecendo uma parceria para o custeio das operações do Disque-Denúncia (181), incluindo pessoal, manutenção das instalações, equipamentos e materiais de consumo.

Sempre com a garantia de manter o anonimato da pessoa que denuncia, no ano de 2005 a Central Disque-Denúncia colocou a disposição do cidadão o serviço de atendimento telefônico através do número 181, que é uma ligação gratuita de qualquer município do Estado.

A parceria com a ONG se estabeleceu por uma década, quando em 2011 a SESP assumiu todas as custas do projeto. Atualmente, o Call Center da Central Disque-denúncia (181), centralizado na capital, opera 24 horas, todos os dias, com profissionais de telemarketing, devidamente treinados e capacitados, para atender os cidadãos colaboradores que utilizam o serviço em todo Estado do Espírito Santo.

Como funciona

Com a garantia do anonimato, o cidadão quando entra em contato com o Disque-Denúncia (181), é atendido por pessoas devidamente treinadas e capacitadas. Ao passar todas as informações sobre a denúncia ele recebe uma senha que o permite complementar a denúncia com novos dados.

Para que ocorra o registro da denúncia, faz-se necessário que o cidadão saiba, no mínimo:

1°) Qual crime deseja denunciar;

2°) Em que local ocorre(u) ou ocorrerá;

3°) Quando ocorre(u) ou ocorrerá;

4°) Qual autor(es) / vítima(s);

5°) Endereço para localização dos envolvidos.

Para tornar mais completa a denúncia, o atendente fará algumas outras perguntas pertinentes ao crime denunciado;

Ao final, o cidadão colaborador pode acrescentar outras informações que julgar necessárias.

Aguardar o recebimento da senha que lhe permitirá contatos futuros para prestar novas informações e/ou acompanhar a apuração de sua denúncia.

As denúncias recebidas através do 181 são entregues a agentes das Polícias Civil, Militar e Corpo de Bombeiros, que avaliam as informações recebidas e as enviam para os órgãos competentes. O retorno com as informações sobre os resultados das denúncias é fundamental para alimentar o trabalho de inteligência e para atender aos denunciantes que ligam para acompanhar os resultados das informações que prestaram.

A Central Disque-denúncia (181) funciona todos os dias da semana, 24h por dia - desde maio de 2012 - sendo garantido o anonimato do cidadão colaborador.

É importante que o cidadão diferencie os registros feitos no DISQUE-DENÚNCIA (181) dos feitos no CIODES-190. Confira abaixo a atividade básica desenvolvida nas duas Centrais:

CIODES

Viabiliza o atendimento de situações de emergências, o

despacho de uma viatura é feito durante o atendimento

ao cidadão

181 DISQUE DENÚNCIA

Viabiliza o trabalho de Investigação Policial;

geralmente não há necessidade do encaminhamento

imediato de uma viatura.

Vídeos Institucionais

​